A temida cinomose - por Caroline Souza

A temida cinomose - por Caroline Souza

Todos nós que mantemos contato, cuidamos e veneramos tanto os bichinhos de estimação sentimos aquele arrepio quando ouvimos falar na cinomose.

Infelizmente ela existe, e sua taxa de mortalidade tem se elevado com bastante rapidez. Por esse motivo, é necessário conhecer essa doença bem como seus sintomas para que possamos identifica-las e levar nosso cão o mais rápido possível ao médico veterinário. Quanto mais cedo se procura o auxílio, maiores são as chances de cura.

A cinomose é considerada uma das afecções mais perigosas para espécie canina, por se tratar de um doença sistêmica ou seja , que pode atingir vários sistemas do organismo. 

Ela pode se manifestar em cinco fases, que não necessariamente possuem ordem para ocorrer, podendo ser um processo demorado para se perceber a presença dos sintomas.

  • Oftálmica: secreção nos olhos e conjuntivite severa.
  • Respiratória: secreção nasal, tosse e pneumonia.
  • Tegumentar (pele): o cão apresenta pústulas abdominais, ressecamento dos coxins ( pele debaixo da pata).
  • Digestiva: vômito, diarreia e anorexia ( falta de apetite)
  • Neurológica: tremores musculares, incoordenação motora e convulsões.

O tratamento deve ser de suporte e sintomática, visando melhorar a resistência do animal, na medida em que as infecções secundárias vão ocorrendo o médico veterinário irá determinando os tipos de fármacos a serem utilizados.

A única maneira de tentar prevenir que a doença acometa o seu cão é realizando a vacina ( que previne não somente a cinomose, mas também outras doenças) três doses inicias, e posteriormente os reforços anuais.

ATENÇÃO: As vacinas somente possuem porcentagem de eficácia e prevenção quando aplicadas no tempo certo e de forma correta. As vacinas ‘’éticas’’ comercializadas e aplicadas somente por médicos veterinários são as mais indicadas devida seu alto teor de proteção.

Caso perceba alguns dos sintomas acima em seu cão, leve-o imediatamente a um médico veterinário de sua confiança para que exames específicos sejam realizados e a doença diagnosticada.

A cinomose  É ALTAMENTE CONTAGIOSA, os animais acometidos devem ficar isolados enquanto realizam o tratamento, evitando assim sua disseminação.

Mantenha a carteirinha de vacinação do seu pet em dia, protegendo desta e de muitas outras afecções.  

Os animais que vivem na rua, não possuem vacinas e estão muito mais suscetíveis ao vírus devido a sua baixa imunidade por falta de alimentação adequada diária, exposição a temperaturas severas e contato com vários animais, por isso, apadrinhe um animal de rua, vacinando, alimentando, protegendo do frio e do calor.

Fazer o bem sem olhar a quem é o ato de amor mais digno que se pode ter. 

APADRINHE

Caroline Borges de Souza
Professora, estudante de pedagogia, realizou curso de assistente veterinária , amante dos animais e voluntária na ONG Amigos de Rua, mora em São Francisco de Paula.

Deixe seu comentário

Lugares que podem te interessar

view_module reorder

Cachoeira do Nassucar - Cambará do Sul/RS

Localização: Vale do Rio Santana, a 24 km do centro de Cambará do Sul. No Vale do Rio Santana, ao norte...

Passeando em família pelo Itaimbezinho e Fortaleza - por Valéria de Moraes

Localizados nas proximidades do município de Cambará do Sul, na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina...

Cânion Churriado - Parque Nacional da Serra Geral

Localização: Parque Nacional da Serra Geral, o cânion está a 23 quilômetros de Cambará do Sul, RS. Localizado a 23 Km de...

Cânion Fortaleza - Parque Nacional da Serra Geral

Localização: Cambará do Sul, RS - a 23 km do centro da cidade. Ver mapa Considerado um dos lugares mais bonitos...

Cachoeira do Tio França - Cambará do Sul/RS

Localizada a 3 Km da cidade de Cambará do Sul, é onde o arroio Campo Bom despenca para formar uma...

Parceiros na difusão cultural